Marketing Digital

O marketing digital é o conjunto de atividades que uma empresa (ou pessoa) executa online com o objetivo de atrair novos negócios, criar relacionamentos e desenvolver uma identidade de marca. Dentre as suas principais estratégias estão o SEO, Inbound Marketing e o Marketing de Conteúdo.

Marketing Digital já faz parte da vida de qualquer pessoa com acesso à Internet, e agora é difícil imaginar como seria viver em um mundo sem ela, não é mesmo?

Apesar de ter surgido há pouco mais de 20 anos, essa vertente do Marketing revolucionou a maneira como empresas comunicam com os consumidores.

Mas afinal, o que é marketing digital?

Resumidamente:

    Marketing Digital é promover produtos ou marcas por meio de mídias digitais.

E, com a internet a cada dia mais presente na vida de todos, o marketing digital trabalha com as principais maneiras que as empresas tem para se comunicar com o público de forma diretapersonalizada, e no momento certo.

Apesar de diversas modalidades de marketing só serem adotadas por grandes empresas, o marketing digital é disponível para empresas de todos os portes, pois não precisa de muito orçamento para gerar ótimos resultados.

Ainda resta alguma dúvida de que o Marketing Digital é uma das modalidades mais importantes de marketing atualmente?

Continue lendo para saber tudo o que você precisa sobre marketing digital!

O que é marketing digital?

O conceito de marketing digital é:

O marketing digital é o conjunto de atividades que uma empresa (ou pessoa) executa online com o objetivo de atrair novos negócioscriar relacionamentos e desenvolver uma identidade de marca. Dentre as suas principais estratégias estão o SEO, Inbound Marketing e o Marketing de Conteúdo.

E não é à toa que os orçamentos estão indo cada vez mais para esse “novo” marketing. Ele possui várias vantagens em relação ao marketing tradicional, e permite um maior retorno sobre investimento.

Além disso, o marketing digital é mais fácil de mensurar, tem métricas mais claras e se tornou essencial para empresas de todos os mercados, sejam elas B2B (empresas que vendem produtos e serviços para outras empresas) ou B2C (empresas que vendem produtos ou serviços para o consumidor).

Como surgiu o Marketing Digital?

Nos anos 90 surgiu a primeira versão da Internet, um pouco diferente da que conhecemos hoje, chamada de Web 1.0.

Essa internet de antigamente não permitia a interação dos usuários com páginas da web de maneira ativa, mas deixava que eles encontrassem informações em um sistema de busca simples.

Era como uma biblioteca, em que você entra, encontra o que quer, mas não pode alterar o conteúdo que encontrou (imagina se a biblioteca descobre que você rasgou ou desenhou em um livro?).

A comunicação era muito mais de um grande produtor de conteúdo e as pessoas só acessavam o conteúdo de forma passiva.

Foi neste início da Internet que o termo marketing digital foi criado.

No entanto, ele ainda era muito similar ao marketing tradicional, pois a comunicação eraunilateral, feita pela empresa por, no máximo, um site institucional, e o consumidor apenas recebia passivamente o conteúdo, sem uma interação próxima entre as duas partes.

Em 1993, os usuários da Internet começaram a ter mais interação com as empresas que anunciavam na web, pois foi quando surgiram os primeiros anúncios clicáveis.

No entanto, foi apenas nos anos 2000 que o marketing digital ficou mais parecido com o conhecemos hoje dele.

Era chegada a era da Web 2.0, em que a comunicação era mais democrática, e todo mundo passou a poder a ser também um produtor de conteúdo tão importante e com tanto espaço quanto os grandes portais de mídia e empresas.

Além disso, agora as pessoas podiam interagir, seja entre elas, seja com os conteúdos disponibilizados na rede.

O aumento do número de usuários da Internet levou a essa mudança, que continua crescente até os dias de hoje.

Tem estudiosos apontando mais mudanças na rede depois dessa revolução dos anos 2000, e chamando de surgimento da Web 3.0 e até 4.0, mas isso é assunto para outro dia.

O ponto agora é: também conhecido como “marketing online”, “internet marketing” ou “web marketing”, o marketing digital já evoluiu muito desde sua criação.

Hoje ele caminha cada vez mais na direção da personalização, ou seja, entregar a mensagem certa, para a pessoa certa, na hora certa.

As vantagens do Marketing Digital

Não é à toa que o marketing digital está crescendo tanto.

Um dos principais motivos é que temos cada vez mais pessoas conectadas à Internet, deixando a TV e o radio em segundo plano. Mas além disso, o marketing digital tem várias vantagens, como:

1. Comunicação

O marketing tradicional — aquele feito fora da Internet, com outdoor, TV e Rádio — não permite que os consumidores se comuniquem facilmente com as empresas sobre o que acabaram de ver.

Já esse o marketing digital possibilita a comunicação entre empresas e consumidores de forma fácil, 24 horas por dia e muitas vezes em tempo real.

Dessa forma, a solução de problemas e mal entendidos se torna muito mais fácil, fazendo com que a marca crie uma boa reputação e uma relação mais afetiva com seus consumidores.

2. Alcance Global

Se você já estudou marketing, sabe que um dos famosos 4 Ps do Marketing é “Praça”, ou seja, o lugar em que você vai fazer suas ações de marketing.

Por exemplo, se sua campanha usa outdoors ou flyers, a escolha do lugar influencia o custo e o impacto da ação. Um outdoor em Belo Horizonte não vai impactar consumidores em São Paulo.

Já no mundo virtual qualquer empresa pode ter alcance global, já que não existem distâncias a serem percorridas e nem limites geográficos.

3. Interatividade

Uma das grandes vantagens do marketing na internet é que ele fica mais interativo, deixa de ser uma via de mão única.

Com a comunicação deixando de ser unilateral várias possibilidades se abrem e agora as empresas podem criar interações ricas com seu público.

4. Dados

Além de você chamar mais a atenção do consumidor, toda vez que ele interage com uma ação de marketing, você consegue informações sobre ele, o que podem ajudar a empresa a entender melhor sua buyer pesona (quem compra de você) e criar ações cada vez mais eficientes.

Além dos dados sobre a idade e localização do seu público, há também sobre o comportamento dos usuários em sites, blogs, redes sociais e motores de busca são essenciais para que os profissionais de marketing possam criar campanhas eficientes e embasadas em dados.

O real benefício de utilizar dados no marketing digital é economia de tempo e dinheiro.

Assim, evita-se que uma campanha seja criada com base em suposições, e assegura-se de que a mensagem comunicada estará de acordo com o público, e que os canais utilizados são acessados pelo público.

Dessa maneira, empresas reduzem o desperdício de dinheiro com campanhas que não funcionam.

5. Segmentação

Com a quantidade de dados que você consegue usando o marketing digital, é possível fazerinvestimentos de marketing extremamente direcionados para seu público-alvo.

Esse tipo de segmentação faz com que a eficiência das campanhas aumente consideravelmente e que o dinheiro gasto em marketing não seja desperdiçado.

6. Tempo real

Como o marketing digital tem como base a Internet, tudo pode ser acompanhado em tempo real.

Os profissionais de marketing podem se adaptar rapidamente de acordo com a performance de uma campanha, evitando desperdiçar dinheiro em algo que não está funcionando.

Enquanto um anúncio de jornal não pode ser mudado depois de impresso e é complicado medir sua performance, o texto de uma campanha no AdWords pode se ajustar automaticamente centenas de vezes ao dia e gerar dados que ajudem a entender se os objetivos estão sendo alcançados ou não, e o que é preciso mudar para gerar os resultados esperados.

 

Os vários canais do marketing digital

Assim como o marketing tradicional, o marketing digital possui centenas de ferramentas, canais e formatos que podem ser utilizados para se alcançar os resultados desejados.

Seguem abaixo algumas das estratégias e ferramentas que todo profissional deve conhecer para entrar nesse mercado:

1. Blogs

O blog é um dos canais mais importantes do marketing digital.

Por meio dele, sua empresa tem a possibilidade de estabelecer autoridade no mercado, conectar com seu público e, principalmente, transformar visitantes do seu blog em possíveis clientes.

Um dos grandes benefícios do blog é que você tem controle total do que acontece nele.

Assim, você dita que tipo de conteúdo vai ser publicado, o tom de voz a ser utilizado, de qual maneira vai abordar seu tema e se vai promover seus produtos ou não.

Além disso, criar um blog requer poucos recursos financeiros e pode ter um retorno muito grande para você.

Duas ferramentas principais estão relacionadas ao sucesso do seu site ou blog:

1.1. SEM (Search Engine Marketing)

O Search Engine Marketing envolve qualquer ação de marketing digital focada em trazer resultados através de sites de busca, como o Google.

O SEM é de extrema importância pois hoje os sites de busca são o canal de entrada de quase todo mundo na Internet e trazem um tráfego extremamente qualificado.

Toda vez que uma página é encontrada em algum site de busca, já havia um interesse por parte do usuário no assunto (afinal, foi ele que fez a pesquisa), o que aumenta muito a chance desse tráfego ser de qualidade.

Dentro do SEM nós temos duas principais maneiras de se trabalhar: SEO e PPC.

1.1.1. SEO (Search Engine Optimization)

O SEO é uma das principais práticas de marketing na Internet e tem como objetivo melhorar sua posição na busca orgânica do Google e outros sites de busca.

Um bom trabalho de SEO envolve dezenas de diferentes ações, que vão desde otimizar seu site para que ele carregue rápido e funcione em celulares até a criação de bons conteúdos.

Aparecer no primeiro lugar do Google é uma ótima maneira de trazer visitas qualificadas e “grátis”, afinal, você não paga para aparecer lá.

Não é à toa que eu coloquei o grátis entre aspas na frase anterior, pois apesar de não ser possível comprar sua posição no Google ainda é necessário fazer investimentos no seu próprio site.

A base de qualquer SEO bem feito é ter um conteúdo de qualidade, sem isso de nada adianta otimizar à perfeição seu site, pois a principal missão do Google é entregar o melhor conteúdo para seu público e ele se tornou muito bom nesse quesito ao longo dos anos.

Tendo o conteúdo como base há várias ações que podem ser tomadas, como pesquisas de palavras-chave para te ajudar a rankear para termos mais importantes, otimização do HTML do site, etc.

1.1.2. PPC (Pay per Click)

Nem só de resultados orgânicos vivem os sites de busca, afinal, eles precisam ganhar (muito) dinheiro de alguma maneira.

A principal fonte de receita desses sites são os anúncios patrocinados, ou PPC (Pay per Click) em que o anunciante paga para aparecer no topo dos resultados de busca.

É claro que os sites sempre avisam que esses resultados são patrocinados, o que os torna menos eficientes do que resultados orgânicos.

No caso do Google eles possuem uma rede chamada AdWords em que você insere seus anúncios que serão mostrados de acordo com as palavras-chave que te interessarem e que forem trazer o melhor tráfego.

Apesar do AdWords ser pago, também é interesse dele que os anúncios sejam relevantes, por isso não basta pagar, seu anúncio deve ser bem feito e levar para uma página de qualidade (eles usam uma métrica chamada Quality Score para definir isso).

2. Mídia Display / Ad Networks

A mídia display é o formato mais tradicional de se fazer marketing digital, basicamente são aqueles famosos “banners” e outros anúncios gráficos que vemos em vários sites por aí, principalmente portais.

Quando o marketing digital começou a fazer sucesso, os publicitários investiram no formato display, já que era o mais similar a comprar um espaço publicitário em mídia impressa.

Aos poucos a mídia display foi evoluindo e surgiram as Ad Networks, que são redes centralizadas que distribuem os anúncios em vários sites distintos, sem a necessidade do anunciante negociar com vários veículos distintos.

Hoje existem vários tipos de Ad Networks, algumas mais corporativas, outras de nicho e, claro,o o AdSense, provavelmente a maior do mundo, totalmente self-service.

3. E-mail

O marketing por e-mail continua firme e forte e é, de longe, um dos meus canais favoritos, pois é um canal de contato direto em que o assinante te deu autorização (claro, se você não comprou a lista, o que é uma péssima prática) para enviar um conteúdo para sua caixa de entrada.

É claro que, assim como a mídia display o uso de e-mail como estratégia de marketing evoluiu muito com o tempo.

Hoje não adianta simplesmente conseguir uma lista gigante de e-mails a qualquer custo e disparar emails publicitários torcendo para conseguir uma venda mesmo com uma baixa taxa de conversão.

Iniciativas assim já não funcionam mais como antes, provavelmente seu e-mail cairá em uma caixa de spam.

4. Native advertising (publicidade nativa)

A publicidade nativa é relativamente recente na Internet, e ganhou muita força depois que as mídias display começaram a perder eficiência e com o crescimento do marketing de conteúdo.

Native advertising é uma publicidade no formato “nativo” do site em que ela se encontra.

Hoje é muito comum marcas criarem, por exemplo, seus próprios publieditoriais ou listas em sites como o Buzzfeed.

O crescimento da publicidade nativa é muito associado ao fato de que o público já não tem muita paciência para ser interrompido enquanto consome seu conteúdo e na Internet é muito fácil ir buscar esse conteúdo em outro lugar, diminuindo a eficiência dos formatos tradicionais.

Por causa disso as marcas começaram a criar o conteúdo elas mesmas e inserir em outros sites, mesclando seus conteúdos com a experiência de uso “nativa” deles.

Pouca gente sabe, mas outro formato tradicionais de publicidade nativa são os próprios anúncios do Adwords que, mesmo sendo anúncios, seguem o formato (de resultado de busca) e a dinâmica do Google.

5. Redes Sociais

As redes sociais mais utilizadas hoje em dia são o Facebook, Twitter e Instagram.

Enquanto cada uma delas possui um formato diferente, o objetivo das marcas que estão presentes nestas plataformas é o mesmo: promover conteúdo e se comunicar com sua audiência.

Ao contrário dos blogs, nas redes sociais você não tem 100% do controle. Isto acontece porque os usuários têm a capacidade de comentar publicamente nas suas postagens.

Portanto, podem surgir comentários negativos, mas não se assuste pois você também terá comentários positivos se estiver engajando corretamente com sua audiência e entregando conteúdos valiosos.

Confira nosso kit de Marketing nas Redes Sociais para engajar a sua persona da maneira correta!

6. Marketing em Vídeos

Cada vez mais, usuários da Internet estão consumindo conteúdos em vídeo no lugar de conteúdos escritos.

A previsão é de que em 2017, 69% de todo o tráfego na Internet ocorra em plataformas de vídeo como o YouTube e Vimeo.

Criar materiais em vídeo pode ser uma boa estratégia pois este formato permite a divulgação de conteúdos dinâmicos, interativos e que comunicam uma mensagem de forma rápida.

Além disso, vídeos são parte importante de uma estratégia de marketing em dispositivos móveis, pois se adaptam com facilidade ao formato mobile.

Fazer marketing em vídeos ainda contribui para aumentar as visitas do seu site, pois gera tráfego orgânico.

Além de o YouTube ser, hoje em dia, uma das ferramentas busca mais utilizadas, os fatores de rankeamento do Google favorecem vídeos no YouTube ou páginas que contém vídeos.

Assim, quem utiliza este formato na sua estratégia pode gerar até 3x mais visitas para o seu site.

7. Outros

Novos formatos e canais de marketing digital surgem todos os dias na Internet.

Porém, é muito importante entender a fundo os conceitos básicos antes de se aventurar por plataformas mais complexas ou novas tecnologias.

Outras estratégias de marketing digital que podem ser exploradas e estão sendo utilizadas com mais frequência hoje em dia incluem ebooks, webinars e até realidade virtual.

Tome cuidado para não cair na “síndrome do objeto brilhante”, que acontece com muitos profissionais de marketing que desejam utilizar uma ferramenta assim que ela é lançada, somente pelo fato de ser novidade.

Isto pode levar a perda de tempo e dinheiro se esta estratégia não estiver alinhada com seu público.

Para evitar que isso aconteça, pesquise a fundo sobre as novas tecnologias de marketing digital e avalie se o uso delas condiz com os objetivos da sua estratégia.

 

Fonte: http://marketingdeconteudo.com/marketing-digital/